Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Pequenos Absurdos

Luiz Carlos e Carlos Luiz são irmãos gêmeos. Luiz tem um caso com a esposa de Carlos. Os irmãos vão ao parque de diversões e entram no Palácio dos Espelhos. Carlos Luiz tem uma faca e investe contra seu irmão. Com horror observa seu próprio braço enterrando a lâmina em seu peito. Nunca soube o que o atingiu. Tampouco eu ou você.

***

Ao se afastar demais da praia caribenha, João começa a se afogar. Mergulha pela terceira vez engolindo água e vê os cardumes coloridos e os corais ondulando banhados pelo sol tropical no mar cor de esmeralda. Por não ter chances de se salvar, nada resoluto ao fundo. "Se tenho que morrer... Que seja de encantamento..."

***

Descendo em velocidade estonteante devido ao pára-quedas rasgado, Sandra pensa em Einstein. Se ela cai na Terra, a Terra também cai em Sandra. O que mata não é a queda. É a parada súb...


***

Voltando para casa pela viela escura, Sérgio viu o demônio à espreita na esquina. "Não acredito em demônios", pensou. Infelizmente, o demônio acreditava em Sérgios.

***

Quando as chamas engolfaram seu corpo nu, o glutão, em seu último pensamento, apreciou o seu cheiro bom de rosbife e morreu com a boca cheia de saliva.

***

O jovem padre morreu e foi ao Inferno. Mas considerou tudo uma benção. Que maior desafio poderia existir? Ergueu então um altar e celebrou a primeira missa pelo perdão dos condenados.

4 comentários:

L.F. Riesemberg disse...

Olá. Interessantes seus mini contos. Por acaso são esses que você comentou que postaria?
ps: acho que temos um estilo muito parecido.
Abraço.

Rubem Cabral disse...

Não. Estou trabalhando em cima do conto ainda. É que tem que ser um conto com história e, ao mesmo tempo, passar uma ou mais mensagens subliminares. Estes mini-contos foram só uma experiência de tentar escrever algo com impacto e poucas linhas.

Legal, termos o estilo parecido! Eu gosto muito do gênero "fantástico" (fantasia, horror ou ficção científica). Gosto também de escrever crônicas. Depois vou conferir melhor o seu blog para conhecer mais os seus textos também.

Abraço.

L.F. Riesemberg disse...

É, eu também gosto desse gênero, pincipalmente dos autores Ray Bradbury, Guy de Maupassant, Roald Dahl e J.G. Ballard. Seja bem vindo ao meu blog, apesar de que lá não tem nenhum conto postado. Na verdade não tem quase nada lá ainda. Mas vi que você leu e comentou a minha história real com O Gato. Hoje ele aprontou mais uma. Daqui uns dias eu posto lá. Abração!

André Cupone Gatti disse...

Olá, parabéns pelos contos muito imaginativos. Primeiramente li todos como fazendo parte de um único corpo (talvez um conto maior com capítulos móveis) mas depois me dei conta que eram vários contos numa mesma postagem, afinal o título "Pequenos absurdos" já indica isso.
É sempre animador encontrar pessoas dispostas a escrever os absurdos que rondam suas mentes. Como dizia Lewis Carrol "A imaginação é a única arma na guerra contra a realidade".

Também escrevo contos inclinados ao insólito, caso tenha curiosidade, criei um blog recentemente (marebrio.wordpress.com), há apenas dois escritos. Não são contos para se entender, mas para se ter uma impressão do todo, até porque, em alguns deles, a estrutura gramatical não é lógica.

Novamente, parabéns pelos contos.